Da moda ao sustentável (Por: Mariana Orlandini Alves)


Osklen

Como a Osklen e suas parcerias contribuem para o meio ambiente, atuando no cenário sustentável por meio de calçados feitos da reutilização da pele de salmão.

Os calçados de pele de salmão são feitos pelo designer Oscar Metsavaht, com produção da Osklen juntamente com o Instituto-e, que ele criou no Rio de Janeiro. Oscar Matsavaht fez o mapeamento de matérias-primas sustentáveis e brasileiras, aptas a uso pela indústria têxtil.

A pele de salmão que é usada nos calçados é um exemplo dessa busca. Geralmente descartada, a pele é processada por uma tecnologia limpa, num curtimento com taninos vegetais e sintéticos, isento de produtos tóxicos.
O design une a sustentabilidade com a informalidade e o despojamento característico dos produtos da sua marca, Osklen.

Oscar Metsavaht é fundador do Instituto-e, uma instituição sem fins lucrativos, sediada no Rio de Janeiro e “voltada para a promoção da vocação do Brasil como país do desenvolvimento sustentável”, afirma o próprio criador. Um de seus projetos é o e-fabrics que, em parcerias com empresas, instituições e centros de pesquisa, classifica tecidos e materiais a partir de critérios socioambientais. Esse projeto já desenvolveu pesquisas sobre a pele de salmão, entre outras.

Concebido pelo Instituto-e como um label único, o e-fabrics foi lançado em janeiro de 2007, pela Osklen, marca reconhecida por valorizar a idéia de brasilidade e intenso trabalho de experimentação com matérias-primas oriundas de processos sustentáveis, durante o São Paulo Fashion Week, o mais importante evento de moda nacional. É um projeto cuja missão é contribuir para o sucesso da moda pelo mundo, e divulgar o valor de suas riquezas e singularidades com a essência da biodiversidade brasileira e as tradições culturais do país.

Outro projeto permanente do Instituto-e, o e-brigade é um movimento de sensibilização e informação ambiental voltado aos jovens, conscientizando e educando através da comunicação criativa e alternativa. O e-brigade confere uma identidade original a iniciativas em prol do homem e da natureza. “Por meio da moda conseguimos fazer com que os jovens se vistam de uma maneira mais saudável ao meio ambiente. Nossa missão é transformar conceitos em atitudes”, afirma Oscar Matsavaht.

Os calçados são um exemplo de preocupação com o nosso planeta, pois como o nosso cenário nos remete ao atual, moderno e sustentável momento, esse produto entre outros nos remete à preocupação que devemos ter com o futuro do meio ambiente. Afinal, sustentabilidade não é moda, mas uma conscientização e veio pra ficar.

Quem assina

ChanelSou Mariana Orlandini Alves. Faço jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie, e vou ser jornalista de moda. Adoro MODA, fiz e faço cursos de moda para estar ainda mais por dentro dela. Por conta do destino tive a oportunidade de conhecer esse novo, “velho” amigo Roberto Sena, no SPFW verão 2009, que me conduziu pela Bienal como se estivéssemos em casa. Muita risada e descontração.

Entenda o motivo de outras pessoas estarem escrevendo por aqui!

Anuncios

2 thoughts on “Da moda ao sustentável (Por: Mariana Orlandini Alves)

  1. Primeiro gostaria de parabenizar a iniciativa pela sustentabilidade ambiental criada pela entidade acima mencionada. Segundo agradecer a Roberto Sena por se deixar estrapolar no assunto, já que isso está em alta e devemos valorizar cada vez mais nosso ambiente e, terceiro, gostaria de idolatrar minha linda irmã pelo artigo que me deixou super encantado com sua maneira de conduzir o texto aproximando o leitor aos detalhes importantes. Te amo linda! Bjo.

Los comentarios están cerrados.