Sampa, um estacionamento à céu aberto


Foto: Roberto Sena
noite

Quando se fala de Sampa tudo é superlativo, e quano o assunto é trânsito a coisa não é diferente. Nessa última quarta-feira as ruas praticamente pararam(mais uma vez), no entanto dessa vez houve uma quebra de recorde, aliás, nada para se orgulhar, pois eram nada mais nada menos do que 293 km de vias congestionadas, ou seja, clase 300 quilômetros!

Muita gente vem dizer que o motivo disso é o individualismo de cada um, que vem aumentando cada vez mais, mas pensando pelo lado lógico, será que essas pessoas estão erradas em ter seu veículo, ao invés de utilizar o transporte público?

Claro, muitas mudanças estão acontecendo, como a ampliação das linhas do Metrô, e a criação de corredores de ônibus, mas por enquanto nada disso é realmente eficaz. Por exemplo, do que adianta utilizar um ônibus se o mesmo trava nas ruas, mesmo utilizando-se dos corredores?

Pra se ter uma idéia, quase todos os dias gasto quase 40 minutos só para fazer o percurso de mais ou menos 2 quilômetros, na região da Rua Funchal e Av. Pres. Juscelino Kubitschek. Muitas vezes já pensei em trocar o transporte público por uma humilde e prática bicicleta, pois poderia fazer o mesmo trajeto em menos de 5 minutos, muita diferença, não?

Existem milhares e milhares de projetos para a cidade, incluindo também a criação de ciclovias, mas por enquanto o melhor mesmo é ficar, mesmo que parado, dentro do seu carro, na companhia do seu som e do ar condicionado, fazer o quê? Assim, e é bom se preparar pra uma provável quebra de recorde na cidade do estacionamento à céu aberto.

Anuncios

4 thoughts on “Sampa, um estacionamento à céu aberto

  1. Prefiro mil vezes ter meu próprio carro do que andar nesse falido transporte público.
    Não se investe o necessário… Infelizmente.

    Beijo!

  2. Digo que Brasília tá ficando assim, igual a SP. Tudo bem que nem chega aos pés, mas tá piorando a cada dia mais!

    Não sei se chega a ser questão de “cada um”, acho que temos que parar com essa história…

    Não adianta um fazer e o outro ficar parado olhando…

    “Cada um”, não engloba somente a população… engloba o governo…

    É uma coisa puxando outra…

    😀

  3. na verdade o problema é outro: não são os carros, denise, mas as casas

    enquanto continuarem a jogar os trabalhadores para as periferias cada vez mais distantes, a cidade simplesmente vai continuar a travar

  4. Bom, eu faço a minha parte, não dirijo. 😛
    Tá, falando a verdade: odeio dirigir.. hehehehehe
    Mas enquanto não investirem em metrô, as pessoas vão continuar usando seus carros.. infelizmente.

Los comentarios están cerrados.