Do Tapas Club à uma bela(e longa) caminhada


Foto: Roberto Sena
luzes

Lá estava eu, saindo de casa por volta das 22h pra ir em direção ao local onde ia ser comemorado o aniversário de uma amiga. Já na esquina entre Avenida Paulista e Rua Augusta, desço essa última, até a altura do número 1.246, e chego no Tapas Club. Na porta apresento minha credencial do Digerindo, e tudo bem, entrada livre.

A primeira impressão do lugar é de que é bem pequeno, e é mesmo, mas não tanto o quanto imaginei de primeira. Logo na entrada me deparei com grandes sofás, que dão um clima familiar, onde o papo rola como se estivesse na poltrona da sua casa. Do lado esquerdo pra quem está entrando está localizado o bar, e pude comprovar que o pessoal atrás dele era bem eficiente no atendimento, não deixando que o pessoal se aglomerasse.

Depois de ter encontrado com facilidade minha amiga aniversariante, tive o previlégio de conhecer, e estar na companhia de pessoas inesquecíveis, e espero muito reve-las. Já era meia-noite quando percebi uma movimentação, e resolvi seguir o pessoal. Caminhando até o fundo do lounge pude encontrar uma escada, que acabou me levando ao andar superior, onde ia acontecer apresentações de DJ’s. Mesmo com uma pista pequena, era possível dançar com muito conforto, e o pessoal que frequenta é muito educado. Os preços de hoje eram de R$ 20 (porta) e R$ 15 (lista), no entanto esse valor pode variar, dependendo da progrmação da noite na casa, mas não se assuste, os preços são bem atrativos. Em breve estarei disponibilizando as fotos registradas na casa.

Sai de lá por volta das 03:10, e diante do horário o jeito foi caminhar por toda Avenida Paulista, percorrendo outros trechos, até chegar na Vila Mariana, onde resido. Enquanto caminhava numa noite onde faziam 17° graus, podia presenciar a beleza das estrelas do meu lado direito, em plena noite paulistana, e do lado esquerdo o brilho fascinante da lua, que dava um tom romântico ao casal sentado na beira da calçada, num beijo cinematográfico. Eu também estava com a ment distante daquele lugar, ouvindo no meu tocador Jorge Vercilo e Amy Winehouse, uma mistura pra lá de intrigante. Um certo trecho de uma canção me chamando a atenção, dizia: “…Ando tão à flor da pele, que qualquer beijo de novela me faz chorar, ando tão à flor da pele, que teu olhar, flor na janela, me faz morrer, ando tão à flor da pele, que meu desejo se confunde com a vontade de ..não ser, ando tão à flor da pele, que a minha pele tem o fogo do juízo final…”

Anuncios

4 thoughts on “Do Tapas Club à uma bela(e longa) caminhada

  1. Oi meu nome é Sara, sou de Portugal (Lisboa) e adorei o teu blog, estou indo para São Paulo dia 1 de Maio pela 1.ª vez e vou ficar bem perto da Avenida de Santo Amaro, será que voçe pode me dar umas dicas para esta pricipiante da tua cidade linda?

    Bjs e felicidades

    Sara

  2. Também adorei ganhar mais um amigo pra essa experiência de vida.
    Sempre achei que amigos eram aqueles feitos na infância e levados pro resto da vida. Estou adorando ter me enganado.
    Também espero trombá ocê por aí.

    Beijo, tchau.

  3. Adorei teu post!
    Realmenrte, a musica caiu muito bem com a situação..
    Do jeito que eu ando, acho que já ia chorar AHUUAUAHUHA

    Beijos

Los comentarios están cerrados.